Quem são os eleitos?

O que torna possível a vida em Geia, a grande mãe Terra, é o equilíbrio da energia vital, a complexa essência divina que circula entre o mar, a terra, o ar, o fogo e todos os espíritos dos seres vivos.

O caos, uma imensurável massa de energia viva, gerou os Deuses Primordiais e as uniões sagradas que se seguiram deram origem aos Titãs, aos Deuses Olímpicos, e a todos os elementos que sustentam a vida.

Para reger o universo os Deuses criaram os anjos, os dividiram em classes hierárquicas, determinando propósitos e os abençoando com a vida eterna.

Para habitar Geia, os Deuses criaram o homem à sua imagem e semelhança, mortal e sem o controle da essência divina, mas senhor do livre-arbítrio, o único com o poder de determinar seu caminho, realizar escolhas. Assim, o cosmo foi dividido entre: Deuses, Anjos e Homens.

A Segunda Tríade, formada por três anjos, também conhecidos como os Príncipes Celestiais, passou a ser o elo e a responsável pelo equilíbrio, mas o tempo mostrou que essa delicada trama era demasiado frágil, pelo fato dos anjos sempre estarem mais próximos dos Deuses e pela dificuldade que tinham em compreender os medos e desejos humanos, até que o homem se perdeu.

 Um grande debate entre os Deuses estabeleceu que Geia deveria ser lavada das impurezas da humanidade e um conflito surgiu entre os Deuses. Alguns queriam o extermínio completo da raça humana por não merecer a benção de viver em Geia. Outros defendiam o homem e a evolução desta espécie tão surpreendente, que amava a vida de um modo incomum.

A união dos Deuses Olímpicos, comandados por Zeus, determinou a condição de que todos os deuses deviam escolher pessoas que representassem suas crenças. Assim, foram determinadas as Casas Divinas, com os humanos escolhidos para formar a Sociedade Eleita.

Um dilúvio foi enviado para limpar Geia, e a primeira missão dos Eleitos foi repovoar a Terra. Durante os primeiros tempos, humanos e Eleitos coexistiram em pleno equilíbrio.

Como os Eleitos abriram mão da liberdade da escolha, receberam dos Deuses o dom de manipular a essência divina dominante da Casa a que pertenciam e, assim, passaram a ter um poder sobre-humano, os tornando muito superior em qualquer aspecto ao homem comum. Antes de se deslumbrar com essa dádiva, os Deuses levaram os Eleitos para viver em Campos Elísios, com a tarefa de controlar o ciclo do Sol, gerando as quatro estações que marcam as etapas do nascimento, vida, frutos e morte, ao cruzarem os eixos celestiais.

Os anjos da Segunda Tríade não aceitaram passar esta responsabilidade aos Eleitos, houve uma grande rebelião. Para puni-los, os Deuses os afastaram de todas as obrigações sagradas e, a fim de proteger os Eleitos, enviaram os Serafins Mestres para Campos Elísios.

Ao mesmo tempo em que os Eleitos se aproximavam dos Grandes Deuses, e se tornaram o elo absoluto entre mundos que se influenciam, os anjos caídos passaram a viver no mundo humano, sem propósito, vagando sem rumo, sussurrando maldades e contaminando as mentes fracas.

E o mundo é como o conhecemos hoje: apenas os Grandes deuses permanecem vivos na lembrança dos homens, em lendas antigas presentes nas poesias e em histórias épicas ou na arte de grandes mestres do passado.

Não mais, porque agora tudo será diferente, porque hoje, ele a encontraria.

Beijos de tinta,

Carla Paes

Uma profecia sagrada

A sabedoria divina entendia que, com o passar do tempo, a Sociedade Eleita perderia a sensibilidade do coração humano, então, para evitar outra grande perda, como o dilúvio enviado para purificar Geia, a grande mãe Terra, os Deuses revelaram a profecia da escolhida às sacerdotisas do oráculo de delfos, que a entregaram ao Eleito da Casa de Apolo, Guardião dos Segredos Ocultos.

Mas os Deuses gostam de poesia, quando fazem uma revelação o tempo não tem significado, podendo ocorrer em alguns anos, séculos ou milênios; o que dificulta a interpretação, porque o tempo altera o rumo dos acontecimentos. É como voltar para casa,  sabemos onde ela esta, mas podemos chegar através de várias caminhos.

Por ser tão antiga como a formação da Sociedade Eleita, a profecia já teve inúmeras interpretações e a cada nova era os Eleitos voltam a reestudar a profecia da escolhida para tentarem prever os caminhos ocultos que geraria a Era de Ouro quando Campos Elísios celebrasse a união do conhecimento humano com o conhecimento divino.

Hagia Sofia, a Sagrada Sabedoria

“Basílica de Santa Sofia – Hagia Sophia – em Istambul na Turquia”

“Interior de Hagia Sophia – Άγια Σοφία em grego que significa: Sagrada Sabedoria”

Uma brasileira, filha de uma eleita com um humano, era a única capaz de pensar e agir como uma pessoa comum por ter os mesmos medos, os mesmos sonhos.

O futuro Deus-Rei da Sociedade Eleita era o único eleito que conhecia o segredo de todas as casas por ter sido criado segundo a antiga profecia da escolhida.

Então por que os Deuses permitiram que o primogênito da Casa de Ares e herdeiro por direito ao título de Senhor das Armas a encontrasse no mundo humano e tocasse coração dela? Ou será que ele o tocou por estarem predestinados?

Os encontros e desencontros amorosos dos jovens eleitos são cercados de intrigas antigas e mistérios que podem abalar os pilares do mundo e somente a escolhida será capaz de unir todas as Casas e neutralizar os impactos na energia vital que podem acabar com a vida em Geia, afinal, ela é Hagia Sofia, a Sagrada Sabedoria.

Beijos de tinta.

Carla Paes